Psicologia em uma visão global, perspectivas dinâmicas, positivo e simplificado

Contenido principal del artículo

María Lapa Esteves
J. Magalhães

Resumen

A Psicologia neste século requer necessariamente uma visão global, perspetivas dinâmicas, positivas e simplificadas. Longe os tempos de rigidez de teorias que por muito sábias que sejam e ainda muito eficazes no nosso dia a dia; a nossa capacidade de ir ao encontro do outro requer também a nossa capacidade em promovermos e trabalharmos nas capacidades de plasticidade, na qualidade das matérias que podem ser moldadas; psicologicamente falando, trata-se da capacidade de um sujeito para se adaptar às condições ambientais; que face à pandemia que vivemos hoje torna-se de extrema importância. Toda flexibilidade mental não será de mais, fazendo com que não haja espaço para ostracismos pela diferença de raças, situação económica, credos ou estudos efetuados. Toda psicologia, nos seus mais diversos ramos de atuação e linhas de pensamento, pode e deve partilhar com a vasta comunidade científica temas emergentes que pelo seu impacto requerem desde logo a máxima atenção de todos nós. Refletir debaixo desta pandemia Covid19 que nos apanhou de surpresa e tanto nos aterrorizou (e aterroriza, ainda!), e que possa a Psicologia intervir de forma dinâmica, positiva e simplificada. Porque só podemos agir local e/ou individualmente, mas temos necessariamente ter uma visão global… o MUNDO que hoje conhecemos é verdadeiramente a nossa aldeia global!

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Sección
Artículos
Biografía del autor/a

María Lapa Esteves, Universidad de Extremadura

Universidade Autónoma de Lisboa

J. Magalhães, Universidade Autónoma de Lisboa

Universidade Autónoma de Lisboa

Citas

Lapa, T. (2014). És Divino! Obra baseada naInvestigação Científica“O rosto pós moderno do divino nalinguagem do desejo.” Chiado Editora.

Magalhães, J., & Paul, V. (2017). Validação do questionário Guarding Minds @ Work para a população portuguesa. In M. Corticeiro Neves et al. (Eds.), Vertentes e Desafios de Segurança (7ª ed., pp. 225-234). Leiria, Portugal: ASVDS – Associação Vertentes e Desafios da Segurança.

Magalhães, J., & Paul, V. (2018). Guarding Minds at Work: Versão portuguesa. Propriedades psicométricas e contributos para a compreensão de fatores de risco psicossociais. In M. Corticeiro Neves et al. (Eds.), Vertentes e Desafios de Segurança (8ª ed., pp. 86-94). Leiria, Portugal: ASVDS – Associação Vertentes e Desafios da Segurança.

Magalhães, M. G., Oliveira, M., Magalhães, J., & Sommer M. (2018). S-ISW (Short Inventory of Stress and Well Being). In M. Corticeiro Neves et al. (Eds.), Vertentes e Desafios de Segurança (8ª ed., pp. 103-117). Leiria, Portugal: ASVDS – Associação Vertentes e Desafios da Segurança.

Maslach, C., & Jackson, S. E. (1981). MBI: Maslach burnout inventory. manual. Palo Alto, CA: University of California, Consulting Psychologists Press.

Ouakinin, S. R. S. (2015). Burnout: Da exaustão ao adoecer. Revista Factores de Risco, Sociedade Portuguesa de Cardiologia, 37, 52-57.

Robbins, S. P. (2002). 9a ed. São Paulo, SP: Editora Prentice Hall. Comportamento Organizacional.

Schein, E. H. (2015). Organizational Psychology Then and Now: some observations. Annual Review of ,1-19. Organizational Psychology and Organizational Behavior, 2.

Zózimo, N., Barreira, D. P., Frasquilho, M. A., Magalhães, J., Teixeira, J. M., Silva, J. M., & Ouakinin, S. (2019). Burnout nos médicos em Portugal: Um estudo nacional. Revista da Ordem dos Médicos, 197, 43-51.