Conhecimentos das grávidas em saúde mental positiva

Contenido principal del artículo

Paula Nelas
Cláudia Chaves
Emília Coutinho
João Duarte

Resumen

A gravidez constitui um período de extrema importância enquanto momento de transição para a parentalidade. Decorrente das alterações biopsicossociais desta fase, torna-se pertinente analisar os fatores que promovem a literacia em saúde mental da grávida. São objetivos avaliar o grau de literacia em saúde mental positiva e analisar as variáveis promotoras da literacia em saúde mental, em grávidas. Trata-se de um estudo quantitativo, transversal, descritivo e correlacional, constituído por uma amostra de 222 grávidas, média de idade 30.45 anos (dp±4.64). O instrumento de colheita de dados foi um questionário, que permitiu caracterizar a amostra nas dimensões sociodemográfica e clínica. Foi ainda utilizada a escala de avaliação da literacia em saúde mental positiva de Chaves, Sequeira & Duarte (2018). Em termos de resultados constatou-se que as grávidas com companheiro, residentes em zona urbana, com ensino superior, ativas profissionalmente, com uma profissão intelectual, sem hábitos tabágicos, que classificam a sua alimentação como saudável/muito saudável, revelam mais literacia em saúde mental positiva. Verificou-se ainda que as grávidas cuja gravidez foi planeada, que recorreram a tratamentos de fertilidade, que a gravidez é vigiada por enfermeiro e médico, que cumprem a vigilância da gravidez, que frequentam curso de preparação para o parto e parentalidade, apresentam mais literacia em saúde mental positiva. Recomendam-se programas de intervenção, como por exemplo, a realização de rastreio de saúde mental na grávida.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Sección
Artículos

Citas

Alderdice, F., MacNeill, J., & Lynn, F. (2013). A systematic review of systematic reviews of interventions to improve maternal mental health and well-being. Midwifery, 29(4), 389-399. Acedido em https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S02666138(12)00088-5

Barge, D., & Carvalho, M. (2011). Prevalência e fatores condicionantes do aleitamento materno: Estudo ALMAT. Revista Portuguesa de Clinica Geral, 27(6), 518-525. Acedido em https://www.rpmgf.pt/ojs/index.php/rpmgf/article/view/10900

Brito, I. (2009) A saúde mental na gravidez e primeira infância. Revista Portuguesa de Clínica Geral, 25(5), 600-604. Acedido em https://www.rpmgf.pt/ojs/index.php/rpmgf/article/view/10678

Cabral, L. R, & Florentim, R. J. S. (2015). Saúde mental dos enfermeiros nos cuidados de saúde primários. Millenium, 49(20), 195-216. Acedido em https://revistas.rcaap.pt/millenium/article/view/8085

Chaves, C., Sequeira, C., Duarte, J. (2018). Projeto de Doutoramento em Ciências de Enfermagem “Avaliação dos níveis de literacia em saúde mental positiva na comunidade” Linha 1: Estudos epidemiológicos em Literacia em Saúde Mental Investigação em SM+Literacia – NURSID – CINTESIS. Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

Conde, A., & Figueiredo, B. (2005). Ansiedade na gravidez: Implicações para a saúde e desenvolvimento do bebé e mecanismos neurofisiológicos envolvidos. Acta Pediátrica Portuguesa, 36(1), 41-49. Acedido em http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/4646

Ferreira, S. R. R. (2013). Literacia na gravidez: Utilização da internet como fonte de informação (Dissertação de mestrado, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra). Acedido em https://repositorio.esenfc.pt/rc/

Guerra, M. J., Braga, M.C., Quelhas, I., & Silva, R. (2014). Promoção da saúde mental na gravidez e no pós- parto. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Espec.(1), 117-124. Acedido em https://repositorio.ucp.pt/handle/10400.14/18436

Jorm, A. F. (2012). Mental health literacy: Empowering the community to take action for better mental health. American Psychologist, 67(3), 231-243. http://dx.doi.org/10.1037/a0025957.

Jorm, A. F. (2014). Mental health literacy: Promoting public action to reduce mental health problems. In L. M. J. Loureiro (coord.), Literacia em saúde mental: Capacitar as pessoas e as comunidades para agir (pp. 27-39). Coimbra: Unidade de Investigação em Ciências da saúde.

Kohan, S., Ghasemi, S., & Dodangeh, M. (2007). Associations between maternal health literacy and prenatal care and pregnancy outcome. Iranian Journal of Nursing and Midwifery Research, 12(4), 146-152. Acedido em http://www.ijnmr.mui.ac.ir/index.php/ijnmr/article/viewFile/31/31

Kutcher, S., Wei, Y., & Coniglio, C. (2016). Mental health literacy: Past, present, and future. Canadian Journal of Psychiatry, 61( 3), 154-158. Doi: 10.1177/0706743715616609.

Lahtinen, E., Lehtinen, V., Riikonen, E., & Ahonen, J. (1999). Framework for promoting mental health in Europe. Helsinki: Stakes.

Loureiro, I. (2015). A literacia em saúde, as políticas e a participação do cidadão. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 33(1), 1. Acedido em https://www.elsevier.es/en-revista-revista-portuguesa-saude-publica-323-pdf-S0870902515000206

Martins, F. (2004). Um olhar sobre saúde reprodutiva em Portugal: O passado, o presente, que futuro? In VIII Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências da Saúde, A questão social no novo milénio. Coimbra: Universidade de Coimbra. Acedido em www.ces.uc.pt/lab2004/pdfs/FatimaMartins.pdf

Meleis, A. I., Sawyer, L. M. I. E. O., Messias, D. K. H., & Schumacher, K. (2010). Experiencing transitions: Emergency middle-range theory. In: A. I. Meleis, Transitions theory: Middle range and situation specific theories in nursing and practice (pp. 52-63). New York: Springer Publishing Company.

Portugal, Ministério da Saúde, Direção-Geral da Saúde. (2006). Circular Normativa nº 2/DSMIA de 16/01/2006: Prestação de cuidados pré-concepcionais. Lisboa: DGS. Acedido em https://www.dgs.pt/directrizes-dadgs/normas-e-circulares-normativas/circular-normativa-n-2dsmia-de-16012006.aspx

Silva, R. M., Bezerra, E. D., Rodrigues, D. P., & Araújo, M. A. L. (2009). Consulta pré-natal na perspectiva de gestantes em uma regional de saúde de Fortaleza-Ceará. Cadernos de Saúde Coletiva, 17(4), 1001-1015. Acedido em http://www.cadernos.iesc.ufrj.br/cadernos/images/csc/2009_4/artigos/Artigo_6.pdf