Qualidade de vida em atletas de futebol

Contenido principal del artículo

Ana Moisao
Sónia Brito-Costa
Florencio Vicente Castro
Simone Amorim
Hugo de Almeida
Mª Isabel Ruiz Fernández

Resumen

O objetivo geral deste estudo foi estabelecer as relações entre os aspetos psicossociais que favore cem e/ou inibem a performance desportiva, sendo a qualidade de vida do atleta, um aspeto relevante no ambiente desportivo, que pode afetar o desempenho e influenciar os resultados. O estudo revelou que os atletas profissionais de futebol têm uma perceção razoável da sua qualidade de vida, e que diferentes estratégias como número de treinos, período de treino, posição de jogo, escalão competitivo e tempo gasto em deslocações para o treino, podem aumentar a perceção da qualidade de vida, onde a identificação de estratégias positivas, permitirá delinear programas preventivos e de intervenção durante as fases de pré-competição e competição.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Sección
Artículos

Citas

Amorim, M. & Coelho, R. (1999). Saúde, doença e qualidade de vida. Psiquiatria Clínica, 20, 235- 241

Andrade, K., Souza, J., Leite, L., Figueiró, M., & Cunha, B. (2011). Qualidade de vida em estudantes de psicologia. Psicólogo informação, 15, 129-141.

Annesi, J. (2004). Psychological improvement is associated with exercise session attendance over 10 weeks in formerly sedentary adults. European Journal of Sport Science, 4, 2, 1-10.

Berger, B., Pargman, D., & Weinberg, R. (2007). Foundations of exercise psychology. Morgantown: Sheridan Books.

Canavarro, M., Serra, A., Pereira, M., Simões, M., Quintais, L., Quartilho, M., Rijo, D., & Paredes, T. (2006). Desenvolvimento do instrumento de avaliação da qualidade de vida da Organização

Mundial de Saúde (WHOQOL-100) para Português de Portugal. Psiquiatria Clínica, 27(1), 15-23.

Cheik, N., Reis, I., Heredia, R., Ventura, M., Tufik, S., Antunes, H., & Mello, M. (2003). Efeitos do exercício físico e da atividade física na depressão e ansiedade em indivíduos idosos. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 11, 3, 45-52.

Chiavenato, I. (1995). Recursos Humanos. São Paulo: Editora Atlassa.

Costa, I., Cunha, R., & Samulski, D. (2006). Análise do conceito de saúde e dos fatores motivacionais para a prática de atividades físicas: estudo comparativo entre alunos, professores e funcionários do ensino superior e básico. Revista Mineira de Educação Física, 14, 1, 66-88.

Dias, M., & Teixeira, M. (2007). Estudo exploratório sobre o abandono do esporte em jovens tenistas. Revista brasileira de psicologia do esporte, 1,1, 1-18.

Dierendonck, D., Garssen, B., & Visser, A. (2005). Burnout prevention through perssonal growth. International Journal of Stress Management, 12, 1, 62–77.

Donnely, P.(1993). Problems associated with youth involvement in high-performance sport. Champaign, IL: Human Kinetics.

Duarte, S. (2002). Saberes de saúde e de doença. Coimbra: Quarteto Editora.

Dvorak, J. & Junge, A. (2000). Football Injuries and Physical Symptons. The American Jounal of Sports Medicine, 28, 5, 3 –9.

Fleck, M. (2008). A avaliação da qualidade de vida: guia para profissionais da saúde. Porto Alegre: Artmed.

Fleck, M., Leal, O., Louzada, S., Xavier, M., Chachamovich, E., Vieira, G., Santos, L., & Pinzon, V. (1999). Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da OMS (WHOQOL-100). Revista Brasileira de Psiquiatria, 21, 1.

Fleck, M., Louzada, S., Xavier, M., Chachamovich, E., Vieira, G., Santos, L., & Pinzon, V. (2000). Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-BREF”. Revista de Saúde Pública, 34, 2, 178 – 183.

Gonçalves, A., & Vilarta, R. (2004). Qualidade de vida e atividade física: Explorando teorias e practicas, 3-25.

Gorely, T., Lavalle, D., Bruce, D., Teale, B., & Lavalle, R. (2001). A sampling of perceptions of potential users of Australian Athlete Career and Education Program. Academic Athletic Journal, 15, 11-21.

Herman, B. (1993). The evolution of health-related quality of life assessment in epilepsy. Quality of life research, 4, 87-95.

Hill, M., & Hill, A. (2005). Investigação por questionário, Edições Sílabo: Lisboa

Legrand, F., & Heuze, J. (2007). Antidepressant effects associated with different exercise conditions in participants with depression: a pilot study. Journal of Sport & Exercise Psychology, 29, 348-364.

Malagris, L. (2000). Qualidade de vida e stress. Cadernos de Psicologia da SBP, 6, 1, 19-26.

Marques, A., & Oliveira, J. (2001). O treino e a competição dos mais jovens: rendimento versus saúde. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 1.

Marques, R. (2007). Esporte e qualidade de vida: Reflexão sociológica. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação física da Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

Matsudo, S., Matsudo, V., Araújo, T., Andrade, D., Andrade, E., Oliveira, L., & Braggion, G. (2002). Nível de atividade física da população do estado de São Paulo: análise de acordo com o gênero,

idade, nível sócio-econômico, distribuição geográfica e de conhecimento. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 10, 4, 41-50.

Mcallister, D., Motamedi, A., Hame, S., Shapiro, M., & Dorey, F. (2001). Quality of Life Assessment in Elite Collegiate Athletes. American Journal of Sports Medicine, 29, 6, 806-810.

Mcleod, T., Bay, R., Parsons, J., Sauers, L., & Snyder, A. (2009). Recent Injury and Health-Related Quality of Life in Adolescent Athletes. Journal of Athletic Training, 44, 6, 603-610.

Mello, M., Boscolo, R., Esteves, A., & Tufik, S. (2005). O exercício físico e os aspectos psicobiológicos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 11, 3, 203-207.

Minayo, M., Hartz, Z., & Buss, P. (2000). Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Revista Ciência e Saúde Coletiva, 5, 1, 7-18.

Modolo V., Mello, M., Gimenez, P., Tufik S., & Antunes, H. (2009). Dependencia de Exercicio Fisico: Humor, Qualidade de Vida em Atletas Amadores e Profissionais, Ciências do Exercício e do Desporto, 355-359.

Neves, C. (2000). Qualidade de vida em pessoas com diabetes tipo I. Revista de Educação em Enfermagem, 11, 47-52.

O’Connor, P., & Puetz, T. (2005). Chronic physical activity and feelings of energy and fatigue. Medicine and Science in Sport and Exercise, 37, 299-305.

Pastre, C., Carvalho, G., Monteiro, H., Júnior, J., & Padovani, C. (2005). Lesões desportivas na elite do atletismo brasileiro: estudo a partir de morbidade referida. Revista Brasileira de Medicina do

Esporte, 11, 1, 43-47.

Pires, D., Santiago, M., Samulski, D., & Costa, V. (2012). A sindrome de burnout no esporte brasileiro. Revista Educação Física, 23, 1, 131-139

Rabelo, D., & Neri, A. (2005). Recursos psicológicos e ajustamento pessoal frente a incapacidade funcional na velhice. Psicologia Estudos, 10, 403.

Ribeiro, J. (2004). Quality of life is a primary end-point in clinical settings. Clinical nutrition, 23, 121–130.

Rosenbloom, C., & Bahns, M. (2005). What can we learn about diet and physical activity from master athletes?. The Lancet. 40, 6, 267-268.

Samulski, D. (2004). Avaliação e Preparação Psicológica dos Atletas Paraolímpicos Brasileiros rumo a Atenas 2004. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 4, 2, 15-102.

Samulski, D. (2009). Psicologia do esporte: conceitos e novas perspectivas. Barueri: Manole.

Samulski, D., Costa, I., Amaparo, L., & Silva, L. (2009). Atividade física, saúde e qualidade de vida. Psicologia do Esporte: conceitos e novas perspectivas, 357-382.

Sanches, A., Casal, H., & Brandão, M. (2004). Fatores de estresse no futebol. Revista Digital Buenos Aires, 73.

Santos, S., & Shigunov, V. (2000). Suporte psicológico ao atleta: uma necessidade “teórica” que precisa ser aplicada. Revista Treinamento Desportivo, 5, 2, 74-83.

Schor, N. & Diniz, D. (2006). Qualidade de vida. Barueri São Paulo: Manole.

Schwarzer, R., & Leppin, A. (1991). Social support and health: A theoretical and empirical overview. Journal of Social and Personal Relationships, 8, 99-127.

Wyllemann, P., & Lavalle, D. (2004) A developmental perspective on transitions faced by athletes. In: WEISS, M. (Ed.), Developmental sport and exercise psychology: A lifespan perspective. Morgantown, WV: Fitness Information Technology, p. 507-527.

Wyllemann, P., Alfermann, D. & Lavalle, D. (2004). Career transitions in sport: European perspectives. Psychology of Sport and Exercise, 5, 7-20.